O desenvolvimento de líderes para a área educacional: Como começar

O desenvolvimento de líderes para a área educacional
20 de fevereiro de 2018
Gamificação da sala de aula
22 de fevereiro de 2018
Exibir tudo

O desenvolvimento de líderes para a área educacional: Como começar

Como apresentado em minha postagem passada, hoje irei falar sobre como começar seu processo de desenvolvimento como líder.

Como começar

Para iniciar um processo de desenvolvimento é preciso saber se a sua instituição de ensino tem claro e atualizado o modelo de competências de um líder para a área educacional.  Quais competências estão ligadas à visão e missão de sua instituição de ensino? Como desenvolver alguém nos aspectos de liderança se nem sabemos quais são as principais competências?

Definir essas características é essencial para começar o processo de desenvolvimento. Empatia, Autoconhecimento, Desenvolvimento Contínuo, Autocontrole, Visão Global, Visão Sistêmica, Dinamismo, Motivação, Trabalho em Equipe, Habilidade Social, Ética, Credibilidade, Foco no Cliente, Pensar com a cabeça do dono, Flexibilidade, Aceitação de Mudanças, Comprometimento, Assertividade… Quais dessas competências são emocionais? Quantas devem ser usadas? E por que não usar todas? Ou até colocar mais competências? Não seria difícil desenvolver e mensurar tudo isso?

O líder moderno precisa ter pensamento positivo, focar na solução e trabalhar o seu estado emocional positivo. No meu curso de Liderança para Gestores Educacionais, faço um processo de imersão nessas competências emocionais e levo os participantes a altos ganhos. Além disso, pensar nas novas tecnologias, entender as redes sociais e saber como usá-las no processo educacional, não é mais e nem menos importante do que entender o comportamento dos liderados.

Entender que hoje os smartphones fazem parte do dia a dia dos alunos e que as aulas não são tão atraentes, não é um problema, mas uma oportunidade de fazer algo diferente e potencialmente valoroso para sua instituição, isso é pensar com foco na solução. Mas, para ter sucesso nesta jornada, o profissional precisará entender como esses alunos pensam e como se comportam.

O desenvolvimento que proponho, nas relações entre líder e liderado, ajuda o líder a encontrar soluções, focar suas energias e competências no que quer e em como vai resolver esses problemas, sempre o levando a um estado emocional positivo.

Se o líder possui um problema, ele necessita identificar as maneiras de resolvê-lo e pensar em como a situação será após a solução ser encontrada. Ele deve se questionar no que quer ver e ouvir quando o problema for solucionado. Avaliações deste tipo são necessárias para desenvolver autoconhecimento. Muitas vezes questões pessoais afetam diretamente o rendimento da liderança e o profissional não é capaz de identificar onde está o problema.

O humor de um líder pode acabar com o desempenho de sua equipe, sem ele ao menos perceber que é o causador desse desastre. Quem não consegue identificar suas emoções com precisão e não sabe como trabalhar para tirar o máximo de proveito delas, pode estar fadado ao fracasso. É preciso definir quais emoções mais afetam e o que fazer para controlá-las.

Essas reflexões ajudarão a manter o estado emocional positivo. Para um líder moderno, com os desafios atuais, não há nada mais importante que seu estado emocional. Controlar as emoções é um passo para o sucesso, não só profissional, mas também familiar e social.

Mas, não é só autoconhecimento que é necessário trabalhar. Como falamos, os desafios serão enormes e desenvolver pessoas será se não o maior, um dos maiores.

E como desenvolver pessoas que saem da faculdade achando que já sabem tudo? Quanto tempo é necessário dedicar ao desenvolvimento de pessoas? Como será dado feedback, com qual velocidade e frequência? Como adaptar a linguagem a cada uma das gerações e perfis comportamentais? Como perceber se os feedbacks estão sendo proveitosos e motivadores?

Ser um líder moderno exige conhecimentos sobre os outros e principalmente sobre si próprio. Como reagir tendo que adaptar a forma de falar com cada profissional?

O líder deve responder estas perguntas, enfrentar estes desafios, conhecer sua equipe, as diferenças comportamentais, aprender a potencializá-las de modo que a produtividade, o prazer pelo trabalho e o equilíbrio da vida pessoal e profissional caminhem juntos. Atingindo isso, está vencido o grande desafio do novo líder. “Você é e tem aquilo que você fez pra ser e ter”. Fazer algo ou ficar parado, ser produtivo ou não, são escolhas e não consequências.

Quais serão suas escolhas a partir de agora? Pense nisso.

Danilo Jesus de Sousa
Master Coach, consultor e palestrante nas áreas de Marketing,
RH e Liderança na Spaço In.