O desenvolvimento de líderes para a área educacional

Um TCC premiado!
19 de fevereiro de 2018
O desenvolvimento de líderes para a área educacional: Como começar
21 de fevereiro de 2018
Exibir tudo

O desenvolvimento de líderes para a área educacional

Em meus mais de 20 anos atuando na área educacional percebo uma tendência neste mercado. Como coach e trainer de líderes, aprendi a pensar positivo e ter somente foco na solução, a qual trato como uma grande oportunidade.

Proponho um desafio: entre hoje em uma sala de aula de ensino médio de qualquer escola particular brasileira e pergunte: quem vai cursar Pedagogia na faculdade?

Infelizmente, um ou nenhum aluno levantará a mão sinalizando uma resposta positiva. Hoje esses alunos são motivados a profissões mais rentáveis economicamente. Faça a mesma pergunta em uma escola pública e esse número aumentará exponencialmente, uma vez que os mesmos entendem que é mais fácil progredir na carreira nesta profissão.

Assim, teremos um aumento no número de docentes com uma enorme deficiência em sua formação básica, visto o atual cenário educacional brasileiro de precariedade nas escolas públicas e a diminuição de profissionais experientes que saíram do mercado pela aposentadoria.

A esse quadro, onde faltam pessoas qualificadas, soma-se ainda a dificuldade de liderar diferentes gerações: Baby Boomer (nascidos entre 1946 e 1964), Geração X (nascidos entre 1965 e 1981), Geração Y (nascidos entre 1982 e 2000) e Geração Z (nascidos a partir de 2000).

A entrada da Geração Y no mercado de trabalho causou grande desconforto por conta da forma de pensar e agir tão diferente das Gerações X e Baby Boomer. E certamente, nos próximos anos, a entrada da Geração Z causará no mínimo o mesmo impacto, se não for maior.

Será cada vez mais frequente a promoção de professores a cargos de liderança, para ocupar os postos dos que irão se aposentar (Geração Baby Boomer), onde o resultado será, em muitas vezes, a perda de um excelente docente e o ganho de um líder ruim. E neste resultado, tanto a instituição de ensino quanto o profissional perderão. Caso o profissional não tenha maturidade emocional para lidar com a situação, pode carregar uma cicatriz emocional.

A tarefa de liderar será cada vez mais complexa e exigente, tanto nos aspectos técnicos como nos âmbitos comportamentais e emocionais. Desafios serão apresentados, sejam eles pelas diferentes gerações, pela evolução tecnológica constante, por novos métodos de ensino que surgirão ou pelo difícil processo de desenvolver pessoas.

Desenvolver líderes educacionais não é tarefa simples, muito pelo contrário, uma vez que lidamos com interesses da instituição de ensino e também com os do próprio líder. Equilibramos, dessa forma, a meta e ganho de produtividade exigidos pelas instituições, e o alinhamento da vida pessoal desta pessoa.

Um líder precisa estar preparado em competências técnicas e competências emocionais e é neste ponto que o processo se torna complexo. O apoio de um coach/trainer, que irá trabalhar a construção de um modelo de competências e iniciar o trabalho de desenvolvimento do profissional, será fundamental.

A preparação deste líder fará dele uma pessoa mais produtiva, satisfeita no trabalho, capaz de entender aspectos comportamentais, com habilidades para gerenciar, motivar e desenvolver pessoas. Reduzirá o stress na equipe profissional, aumentará o número de alunos, assim como terá equilíbrio entre trabalho e família.

O processo de desenvolvimento de líderes leva em torno de 6 a 9 meses para ser finalizado. Os resultados na instituição começam a surgir a partir do primeiro mês, necessitando desta quantidade de meses para a sustentação e consolidação das mudanças comportamentais.

Na próxima postagem, irei mostrar para vocês como começar seu processo de desenvolvimento. Fique atento e acompanhe!

Danilo Jesus de Sousa
Master Coach, consultor e palestrante nas áreas de Marketing,
RH e Liderança na Spaço In.